bèrro sucinto via e-mail (feed):

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

mesmo quando não há sons, mesmo quando não há palavras

Às vezes quando tentamos explicar acontecimentos bons, 
o som da palavra já não sai da boca. 
E quando tentamos expressar em palavras escritas,
as letras não se encontram e não encontramos as letras.
Nessas vezes, faltam-se os sons, as falas, as palavras.
Não há sons que cantem o tamanho verdadeiro, 
não há palavras que expressem o verdadeiro significado.

Alberto Pereira & Sorraine de Castro

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

ensaudecida

Quando se está a poucos minutos
de matar a saudade
ela se mistura com ansiedade,
que ensandecida
suicida-se quando você chegar.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

compaixão em nanosegundos

Ontem estava um frio danado.
Quando o vento bateu em mim
pensei em todos os moradores de rua
que deviam estar congelando - e desesperados.
Fiquei pensando comigo assim.
Logo depois esqueci, e voltei ao que estava fazendo.