bèrro sucinto via e-mail (feed):

domingo, 28 de março de 2010

O Silêncio

Aprendi a praticar o silêncio.
Não o silêncio ausência de sons, o vácuo
é inimaginável a ausência de som
Pratico o silêncio no pensamento.
Quando o nada toma conta de mim.
Quando a abstração me leva a reflexão,
e o que me liga ao mundo caneta-papel.


continuo ouvindo
ruídos de pessoas, carros, buzinas,
e a gravidade domina por completo meu corpo franzino.
Mas nenhuma energia controla
o silêncio que flutua em mim.

sábado, 27 de março de 2010

Quando Coração

Estava defecando quando olhei para o piso do banheiro

No reflexo da luz sobre o azulejo eu vi um coração.

Aliás vejo corações na folha seca caída no chão, na falha das calçadas esburacadas, nos pedaços de guardanapo amassados, no resto da comida no prato e


agora
no piso do banheiro.


Se, de fato, sou louco eu não sei
Mas são ou não, eu vejo coração.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Sobre perguntas em palestras

Em todas as palestras ouço perguntas tão intencionadas e distantes,
que não sei se é minha cabeça que não processa
ou também a cabeça dos palestrantes.

Waly Salomão


"Experim
entar
o experimental

Experimentar
o experimental

A fala da favela

O nódulo decisivo
Nunca deixou de ser
O ânimo de plasmar

Uma linguagem convite
Para uma viagem

E agora?
Quer dizer, o que é que eu sou?

Meu nome é Waly Salomão, um nome árabe:

Waly Dias Salomão! Nasci numa pequena cidade da caatinga baiana, do sertão
baiano, filho de pai árabe e uma sertaneja baiana.

A memória é uma ilha de edição, a memória é uma ilha de edição.


Nasci sob um teto sossegado, meu sonho era um pequenino sonho meu, na ciência dos cuidados fui treinado, agora, entre o meu ser e o ser alheio, a linha de fronteira se rompeu...

Câmara de éter, eu tenho o pé no chão, porque sou de virgem, mas a cabeça gosto que avoe..."

Waly Salomão

quarta-feira, 17 de março de 2010

A Boca Global

Todos os ouvidos seu gogó acerta
Caras e bocas, a boca esperta.
Ouça. Preste atenção. Mas não reflita de fato, aceita...
Aceita que ela é bonita... Muito bonita!
Faz "Plim Plim" pra mim!
Fez bem, faz mal, faz bem, fez mal.
Mas de todas as bocas, eu só me vejo por aqui.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Papagaios



Imitamos tanto quanto os papagaios.

A diferença é que eles imitam - e sem saber que o fazem - por natureza.

Nós não. Não somos naturais. Não agimos naturalmente. Não gostamos da nossa natureza.
Estamos sempre nos apropriando da apropriação.
Garanto que o único ato natural é o teu encontro com o vaso sanitário.

Ou até nessas horas você faz um estilinho?

segunda-feira, 8 de março de 2010

Crua Cura

Troque apropriação pela troca
Inverta filosofia e dogma
Dogma e religião fora
Fora tira fora!
Fora a lei do deus,
do demo, do céu e do inferno

Coloca a mão na consciência e passa o pente
Pente fino! Cuador!
Cura a dor do egoísmo, da burrice, do medo, do mundo

IGNORANTE!


É CURRA É CURRA É CURRAAAAA
A CURA É CRUA É CRUAAAAA
E A CURA É CRUA É CURRAAA

LOUCURA. A CURA É CURRAAAAA



Tá uma curra! Cadê a cura?




quinta-feira, 4 de março de 2010

Nem tudo que é eterno é inesquecível,
mas tudo que é inesquecível é eterno.
Pense comigo:

Deus.

Às vezes o esqueço
Mas no aperto inesquecível, na angústia inesquecível, na tristeza inesquecível lembro de alguém eterno! Quase que eu esqueci!
Se Deus não existisse hein?