bèrro sucinto via e-mail (feed):

sábado, 17 de setembro de 2011

Chão

Se tem uma coisa que não me cobra nada
é o chão.
Que eu piso e não fala de mim
nunca me arrumou confusão 
Acordo e ele está ali 
e eu nunca lhe peço perdão.
Se ajeita com o meu próprio jeito 
Não me larga de antemão 
Dou pulo e ele não me deixa 
E eu nunca lhe peço perdão 

Te amo, licença, bom dia,
não, chão. Eu nunca lhe peço perdão.
E ele a me manter de pé. 

Nenhum comentário: