bèrro sucinto via e-mail (feed):

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Garoto




Garoto queria ser piloto, mas virou aviãozinho.
Largou o ensino público primitivo e precário no seu país.
Cansou de ser tratado como bicho, por bichos iguais a ele.
Garoto foi tentar voar mais alto pra deixar de ser infeliz.

Que moleque festeiro! Soltava fogos todo dia!
Quando via um gato preto ou quando chegava mercadoria
ganhou destaque com o chefe por seus olhos de gavião
garoto, guerreiro agora, decolou na profissão
garoto, guerreira agora, decolou de posição

Vai ganhar tutu,
dando tum, tum, tum
Vai ganhar tutu, tum, tum, tum, tum, tum, tum.

Que disposição que esse cria tem! Já é frente do bonde.
Mete a cara contra os “alemão” e dos homi ele não se esconde
No perigo da contenção ele se mantém
Concentrado, com a mira no seu alvo, que pela viela vem.

Em um passado-presente o futuro é esperado
de confrontos sem fim e gatilhos descontrolados
um polígono irregular e um grupo de cada lado
E afinal, quem tá mais certo quem tá mais errado?
Garoto queria ser piloto, mas virou aviãozinho. Garoto morreu voando mas não foi pro céu.

foto: OutNow! Image Gallery
Última Parada 174, Bruno Barreto, 2008

Nenhum comentário: