bèrro sucinto via e-mail (feed):

segunda-feira, 14 de junho de 2010

"foda-se"

Talvez um membro mutilado,
seja nem metade.

Talvez minha cara arrastada
em parede áspera,
cara a tapa, tapa além da cara
além da pele, além da palma
nenhuma força é nada
tua força é nada comparada a tua palavra,
ao foda-se, ao foda-se.


"foda-se, foda-se, foda-se, foda-se, foda-se, foda-se,
foda-se, foda-se, foda-se, foda-se, foda-se, foda-se,
foda-se, foda-se, foda-se, foda-se, foda-se, foda-se"


Dói além do tato, além do tempo 
e do pensamento meu.
Corrói-me do abstrato ao concreto.

Nenhum comentário: