bèrro sucinto via e-mail (feed):

quinta-feira, 25 de março de 2010

Waly Salomão


"Experim
entar
o experimental

Experimentar
o experimental

A fala da favela

O nódulo decisivo
Nunca deixou de ser
O ânimo de plasmar

Uma linguagem convite
Para uma viagem

E agora?
Quer dizer, o que é que eu sou?

Meu nome é Waly Salomão, um nome árabe:

Waly Dias Salomão! Nasci numa pequena cidade da caatinga baiana, do sertão
baiano, filho de pai árabe e uma sertaneja baiana.

A memória é uma ilha de edição, a memória é uma ilha de edição.


Nasci sob um teto sossegado, meu sonho era um pequenino sonho meu, na ciência dos cuidados fui treinado, agora, entre o meu ser e o ser alheio, a linha de fronteira se rompeu...

Câmara de éter, eu tenho o pé no chão, porque sou de virgem, mas a cabeça gosto que avoe..."

Waly Salomão

2 comentários:

Gabriel disse...

Tem mais algum registro desse cara? Muito bom.

brie lá disse...

acho que no final é "câmara de ecos", não de éter... :)