bèrro sucinto via e-mail (feed):

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Casa de Vó

Casa de vó, meu dia então
torna-se mais repleto
Com mais carinho e atenção
que cuidam de mim por perto
Hora do Almoço, comida na mesa, 
mãos dadas para a oração 
Depois do banquete, espera o pudim 
que vem pra repartição

Barulho de família
e do tamanho da mesma
Silêncio se espalha na sala
chegada da sobremesa
Aquele neto chato, não gosta de pudim, traz vô
tira da Kombi caixa de doce pro neto ficar feliz, na

Casa de vó termina de tarde
todos se despedem do Rio
Dá um trocado, um doce um agrado pros netos que já vão indo
Benção no vô, benção na vó e um abraço naquele tio
Volta pra casa, volta com Deus
É o fim de mais um domingo.

23/09/2008

Nenhum comentário: